# CRÔNICA DA SEMANA: EM NOME DE DEUS!

FOTO REPRODUÇÃO/GOOGLE
Em 12 de Abril de 1922, o jovem Adolf Hitler faz um discurso com o seguinte texto: “Meus sentimentos, como Cristão, mostram meu Deus e Salvador como um guerreiro. Como Cristão, tenho o dever de ser um guerreiro pela justiça e verdade”. Faz algum sentindo, o homem que mandou aniquilar 6 milhões de judeus expressar sua cristandade com tamanha devoção? Pra mim, nunca fez sentido algum. Assim como nunca fizeram sentido algumas barbáries, pela história da humanidade, que levaram o nome de Deus como baluarte de tais atos.

O pragmatismo político, misturado com o populismo, sempre trás consigo a palavra Deus como cúmplice de uma bandeira ideológica, que vem curar os anseios de uma sociedade. E já tem tempo que Deus tem entrado na política. Às vezes, eu acho que Ele é partidário e até excludente. Será que Deus tem colocado paladinos na política? Ou será que estamos passando por um contexto igual ao que a Alemanha passou em 1922?

Quando eu vejo políticos usarem o nome de Deus para expor as suas mais horrendas ideias, eu fico sempre com o pé atrás, não por não ser cristão, mas é justamente por me considerar cristão que eu fico com medo desse Deus inventado e político.

Durante uma entrevista na GloboNews no dia 3 de agosto, o candidato a presidente da república, Jair MESSIAS Bolsonaro, declarou: “Eu estou cumprindo uma missão de Deus”. Ao ser perguntando qual figura do exterior ele admira, o candidato afirma ter admiração pelo atual presidente dos EUA, Donald Trump, outro “cristão” que, há pouco tempo, colocou crianças em jaulas, longe de seus pais, simplesmente, por ter entrado no seu país. Mas a nossa preocupação não tem em pauta o orange guy americano, mas o nosso candidato tupiniquim. Ele diz ser um político diferente de todos, apesar de já estar no ramo há 30 anos. O que acontece na mente de um político que pensa agir conforme a vontade de Deus? Que acha que Deus lhe deu uma missão? Às vezes, sua cabeça subiu ao ver sua popularidade. Mas vendo a História, vendo o que Hitler fez, achando ter o aval de Deus, fico pensando naquela famosa frase popular: “Deus é brasileiro”. Aliás, o populismo é diferente do popular. Essa frase vai contra o populismo desse Deus político. Eu acho que, se Deus fosse brasileiro, não daria uma missão a um candidato entreguista e privatizador. Recentemente, o general amazonense, Mourão, vice de Bolsonaro, deu a seguinte declaração: "O país herdou a indolência dos índios e a malandragem dos negros". Eu continuo acreditando no popular e com a ideologia que Deus é brasileiro. Acho que Deus não viraria as costas para nós.


6 comentários:

  1. Interessante texto de opinião, de fato acredito que Religião e política não tem que se misturar, o principal é respeitar cada um a opinião do outro, pois vivemos em um país democrático e laico!

    ResponderExcluir
  2. Muito importante o respeito quando se trata de Religião...E a política não tem como brigar por tal,afinal a representatividade não é das melhores.

    ResponderExcluir
  3. É uma idéia interessante a se pensar, porque as pessoas colocam Deus no discurso daquilo que querem conquistar? Eu acredito que seja porque só de levar a palavra Deus ao discurso, seria uma tentativa de se tornarem mais próximos das pessoas as quais eles querem conquistar. E tipo, se falar a palavra "brigadeiro" comigo, vc prende minha atenção imediatamente. As pessoas querem se relacionar com seus líderes, querem algo em comum, e essa seria uma das formas de criar essa relação.
    Muito boa postagem!

    ResponderExcluir
  4. Acredito que é um assunto que gera um enorme debate, não é pra tanto né mesmo rsrs.
    Gostei do seu post, muito importante ficar por dentro do que acontece, ainda mais sendo da politica.
    https://blogdajenny2014.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Complicada essa política. Eu ainda não sei em quem votar.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Estamos de volta do hiatus!

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  6. Olá! Olha, Deus é maravilhoso. O problema é o fandom. Pessoaa que fazem monstruosiades em nome Dele e acham que estão arrasando.
    Vivemos no mito de Estado Laico, já que no meio de um debate político sacam uma bíblia. Olha, o tempo que estamos vivendo é medonho!
    Bom texto. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.