#CRÔNICA DA SEMANA: A COPA DO MUNDO DE 1994: É TETRA!

FOTO REPRODUÇÃO/GOOGLE

Recordo-me muito vagamente da copa de 90. Lembro-me somente de alguns fatos. Entre esses fatos, lembro-me dos meus familiares reclamando da atuação da seleção de 90. A copa de 1994... Ah, essa sim! Recordo-me muito bem das tabelinhas, dos momentos e de alguns gols. Hoje, lembro-me desta copa com recordações boas e com toda a certeza de que essa foi a melhor copa que já acompanhei. Assisti o penta de 2002, mas a copa de 94 foi melhor!

A magia da copa de 94, com uma seleção que foi classificada no último momento com dois gols de Romário frente à Bolívia. Uma seleção sem esperanças, desacreditada... Foi a primeira copa que assisti e acompanhei. Tinha a tabela dos jogos devidamente preenchidas. Acompanhei todos os jogos e cada avanço da seleção brasileira, com a dupla Romário e Bebeto. Na vitória do Brasil sobre a Holanda, o jogador da seleção, Branco, bateu uma falta tão forte, entretanto, a bola foi para fora, atingindo um fotógrafo que capturava instantâneos do lance ― uma pancada! O Brasil ganhou da Holanda com um belíssimo gol do Romário e com uma comemoração marcante: Romário, Branco e Bebeto comemoraram o gol com um gesto de como se estivessem embalando uma criança no colo. Uma comemoração marcante, que entrou para a história. A copa de 1994 marcou com as frases: Vai que é tua Taffarel! É tetraaaaa! Haja coração! A final contra a Itália foi marcada pelos pênaltis os quais Roberto Baggio perdeu, mandando a bola para a arquibancada, terminando com os gritos de Galvão Bueno e Pelé, com: “ÉÉÉ TEETRAAA”! A seleção brasileira homenageou o piloto de fórmula 1, o maior de todos os tempos, Ayrton Senna. A morte dele pôs um fim às manhãs de domingo de muitos brasileiros. Essa homenagem fechou a copa de 1994 com chave ouro.

Existem copas que marcam gerações. Cada geração tem a sua copa... Nessas horas, temos orgulho de sermos brasileiros. Claro, existiram outras copas boas: 2002, quando Ronaldo (fenômeno) brilhou; A copa dos 7 a 1, em que Ronaldo (fenômeno) disse que hospitais não ganham copas, ironizando nossa política em relação ao evento “patriótico”. 2014 foi a copa da camisa verde-amarela, foi a copa no Brasil, foi a copa dos golpes! Política, foi ela mesma que tirou a magia da copa de 94 (meu ponto de vista), tornando as copas imediatistas, fazendo-nos enxergar hospitais cheios e falta de saúde, e etc... É no dia-a-dia social que o patriotismo vem de verdade. Foi depois da copa de 94 que comecei a viver a ressaca pós-copa, aquele pensamento que você acorda, levanta, sabendo que agora é hora de exercer a cidadania, pois é época de eleição. Mas o patriotismo da copa não perde sua boniteza, apesar dos pesares. Já começamos cobrando atitudes mais claras dos juízes. Quem dera se fossemos assim: Cobrando atitudes e árbitros de vídeos da nossa justiça! Portanto, que venha o HEXA! Depois vem a ressaca pós-copa. Eleições, onde os jogadores somos nós...

Compartilhar no Google Plus
    Blogger Comentarios
    Facebook Comentarios

15 COMENTÁRIOS :

  1. Parece que faz tempo q td mundo reclama da seleção ne, mais acho que antigamente havia um amor maior pea copa e maior dedicação, hj eu acho tão artificial

    ResponderExcluir
  2. Acertou em cheio meu amigo a copa de 94 foi a primeira que eu assisti e gostei porque independente de problemas sociais ou não a seleção brasileira desacreditada jogou verdadeiramente com garra pra Bebeto,Romario, Branco Taffarel não teve boi agora não se vê mais time assim

    ResponderExcluir
  3. Imagino a Copa de 94 com o árbitro de vídeo. Não estou criticando essa nova ferramenta, e sim propondo um exercício de como poderia ter se desdobrado aquela Copa.

    ResponderExcluir
  4. Ontem mesmo estava vendo um programa que conta as grandes copas e falava sobre a copa de.. 94! Adorei o texto, me fez relembrar detalhes da época que não mostrou ontem na programação... E cada gol mais incrível não é?

    ResponderExcluir
  5. Adorei sua crônica, realmente cada geração tem sua copa, nesse pequeno intervalo de tempo esquecemos dos problemas e ficamos todos juntos, unidos em um só objetivo: Torcer pelo Brasil. Mas por que não fazermos isso nas urnas? Acho que é nessa hora que devíamos realmente torcer pelo Brasil com um voto honesto.

    ResponderExcluir
  6. Futebol tem esta magia, tem sua era, tem sua história e tem sua geração, se não fosse assim o futebol seria muito sem graça. Ecxelente texto

    ResponderExcluir
  7. Copa de 94 realmente tinha uma outra cara.Eu tinha 7 anos, então eu tinha uma visão infantil da Copa, era só festa, minha mãe lutava com meu irmão caçula ,com 3 anos na época, idade da minha filha hoje, para tirar a camisa do Brasil que ele amava.

    ResponderExcluir
  8. Quantas recordações interessantes da Copa de 94. Essas frases são marcantes mesmo. Me lembro bastante da Copa de 98 em diante... Com Zidane, os pênaltis entre Brasil e França, a derrota do Brasil.
    Bom final de semana!


    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito da cronica, gosto muito desse genero literário e o seu tema não poderia ser melhor.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Eu só comecei a torcer pela copa esse ano, não sei porque mais eu não era acostumada a torcer, mas hoje aprendi a desfrutar um pouco dessa energia que nós brasileiros temos.
    gostei do seu post, bem interessante saber algumas coisa que até então pra mim eram desconhecidas.

    ResponderExcluir
  11. Pra mim essa também foi a copa que marcou! Assisti do início ao fim, já com uma visão mais adulta, ainda juvenil, mas menos infantil. Aquela final foi emocionante demais! Só tenho boas lembranças dessa época :)

    ResponderExcluir
  12. Acho que a copa de 94 também foi a mais marcante para mim. Ver os jogos era muito emocionante. Ainda não tinha idade o suficiente para ver este evento como "pão e circo". Este gesto de comemoração entrou para a historia das Copas. Espero ainda ver outras em que eu realmente me empolgue. Esta não deu quem sabe na próxima. Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Jonas. Um pena estar lendo esse texto um dia após a derrota da seleção. Em 94 tinha apenas 2 anos, então não me lembro de nada rs. Mas sempre que vejo vídeos dessa vitória, fico arrepiada. Me lembro mt da de 98, lembro da final, de estar na minha tia e todos ficarem arrasados. Lembro da de 2002, do Ronaldinho e seu cabelo de Cascão e a grande final. Engraçado é que não lembro da de 2006, mas lembro da de 2010, meu último ano no colégio, onde todos os jogos rendiam festas.
    E ah, 2014... queria não lembrar. Mas o 7x1 é a marca da minha geração, infelizmente. E agora, 2018, onde o sonho ficou novamente pelo caminho, mas 2022 ta logo aí.
    Agora, sobre eleições... concordo. Os jogadores seremos nós. Não adianta achar que a Copa, de 4 em 4 anos é a culpada pelas nossas mazelas. Elas vem por outro motivo de 4 em 4 anos, mas com a nossa culpa. Espero que em outubro, a gente vença. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  14. Realmente são otimas recordações, estes últimos campeonatos não tem tido a mesma energia desde então ou garra, o Brasil era conhecido pelo seu bom futebol. Realmente o cenario politico brasileiro não tem se mostrado bom, e a copa de 2014 também considero um dos maiores "furos" dos ultimos tempos, pois ela vio decorrente de uma crise financeira global de 2008 e por pelo fato ilusorio da copa a população não conseguiu ver o cenario politico financeiro e que no pos copa somente agravou, pois tivemos epidemias e o sistema de saude ainda mais fragilizado. Este ano, 2018, poucas pessoas torceram mesmo a maioria ainda esta preocupada com os agravantes da copa anterior

    ResponderExcluir
  15. Ótimo texto! Oportunamente em tempo de copa do mundo, trazendo à tona uma boa recordação com sentimentos patrióticos em uma sutil análise comparativa com a nossa atual conjuntura sócio-política.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial