INFLUENCIADORES DIGITAIS: O NOVO MERCADO DE TRABALHO TEM ATRAIDO MUITOS JOVENS E ADULTOS

“Influenciador Digital” parece ser a nova profissão que mais rende no mundo todo

FOTO/ REPRODUÇÃO GOOGLE
Chamem-nos do que quiserem: youtubers, blogueiros, instagrames, digital influencer, ou no bom português, Influenciador Digital. É muito comum hoje entrarmos em algum perfil do instagram, facebook ou até mesmo do twitter e vermos a seguinte descrição “Influenciador Digital”, essa parece ser a nova profissão que mais rende não só no Brasil como no mundo todo.

De acordo com nossa boa e velha Wikipédia “Influenciadores digitais são pessoas, personagens ou grupos que se popularizam em  redes sociais como YouTubeInstagramSnapchatTwitterFacebookTumblr e várias outras. Esses influenciadores são desenvolvedores de ‘conteúdo’ para a internet e acabam gerando um público massivo que acompanha cada uma de suas postagens e eventualmente compartilham com outras pessoas.”, mesmo assim ela ainda acrescenta em seu próximo parágrafo “Essas novas personalidades originadas da internet não se restringem a apenas uma rede social, a união delas faz com que eles alcancem um público maior e assim consigam firmar o seu espaço na internet. O surgimento desses novos formadores de opiniões digitais também causa uma mudança comportamental e de mentalidade em seus seguidores, que tendem a ser facilmente influenciados.”

Os Influenciadores não estão à ativa só de hoje, desde a época do Orkut, Fotolog ou até mesmo o Flogão era possível vermos influenciadores digitais, mas naquela era o engajamento por parte deles de influenciar determinados grupos sociais não era tão grande. A internet não parecia ser um território tão acessível assim como nos tempos de hoje, há quem diga que era “Terra de ninguém”. O destaque veio quando as marcas viram que as redes sociais eram canais estratégicos de divulgação para seus produtos e serviços.

O primeiro youtuber, e talvez o pioneiro na área, que fez uploud do seu primeiro vídeo na internet foi PC Siqueira, isso lá em meados de 2010. O canal dele hoje está com cerca de 2,3 milhões de inscritos e, atualmente, 513 vídeos publicados desde o seu primeiro até hoje, isso sem contar os “colabs”, vídeos com participação de outros youtubers, que o mesmo fez. Mesmo assim ele está longe de ser o youtuber mais influente no mundo.

O cargo de youtuber mais influente, e até mesmo citado em muitas listas e pesquisas, pertence ao Whindersson Nunes que possui cerca de 29 milhões de inscritos e 344 vídeos publicados, atualmente, em seu canal no youtube. Exemplos como esses, de grandes blogueiros e youtubers, como podemos citar a MariMonn, a Camila Coutinho, a Kéfera, o Whindersson Nunes, o PC Siqueira, o Felipe Neto, entre tantos outros, tem influenciado muitos jovens a quererem esse cargo de destaque para si mesmos.

"Os YouTubers se diferenciam das celebridades convencionais pela proximidade que têm com o target. Postam constantemente vídeos que mostram suas vidas, casa, rotina; não é somente o lado 'maquiado' da vida, é mais autêntico que muitas celebridades convencionais", aponta estudo encomendado pelo Google e realizado pelo Instituto Provokers sobre “Os Influenciadores de 2017 – Quem Brilha na Tela dos Brasileiros”.

TUDO COMEÇOU COMO “HOBBIE”

“Comecei a blogar quando tinha apenas 13 anos de idade. Na época, não se ganhava dinheiro com blogs, nem ao menos existiam Youtube, Instagram, Facebook e outras redes tão famosas hoje em dia. Mas, eu achava aquele universo incrível, foi assim que comecei a ter noções de HTML e algumas outras linguagens de programação. Mais de 15 anos se passaram, e essa paixão nunca deixou de existir. Foi assim que comecei a ver o blog como algo além de um hobby, comecei a ver a importância de um bom conteúdo em um grande site de buscas, assim como compartilhar gostos pessoais e conhecimentos que adquiri ao longo do tempo. Foi assim que decidi me profissionalizar e fazer o possível para tentar viver de blog.”, relata Flaviane Vilela Reis autora do blog “Memórias de uma Guerreira”. Seu blog costumava trazer resenhas, games, músicas (preferencialmente rock), artigos nerds e para quem curtia RPG, com o passar do tempo e sua profissionalização é notório a mudança de nicho, tornando-se um local onde a mesma divulga e até mesmo relata suas experiências e crescimentos, bem como dicas, para quem quer entrar nesse mundo de Digital Influencer.

Quando perguntamos como tem sido o retorno em relação ao público à mesma relata. “Depois de quatro anos de Memórias de uma Guerreira, sinto que apenas agora meu público está vendo o blog com outros olhos e buscando informações que sejam atrativas para o conhecimento deles. Estou aos poucos me tornando referência e isso exige tempo, paciência, esforço e dedicação. Mas ter um reconhecimento, mesmo que seja mínimo, já é gratificante.”

Assim como Flaviane, Yasmim Graelm, 20 anos, estudante de jornalismo e autora do “Qualquer Latitude”, também iniciou sua carreira como Digital Influencer sem nenhuma pretensão de algo mais. “Desde pequena eu acompanho vários blogs e sempre gostei da ideia de ter um. Com 16 anos eu fui fazer intercâmbio na Austrália e criei o “Na Terra dos Coalas” (atual Qualquer Latitude). Eu mantinha o blog como um diário. Com o tempo a brincadeira foi ficando mais séria e eu entrei na faculdade de jornalismo onde aprendi técnicas de texto, vídeo e fotografia. Eu não entrei neste mundo para ser influenciadora digital, mas por ter uma grande frequência de posts no blog e nas redes sociais naturalmente as pessoas começaram a me procurar para perguntar onde eu tinha comprado alguma coisa, onde a foto tinha sido tirada, etc, isso chamou atenção de algumas marcas e eu acabei fechando algumas parcerias.”, diz Yasmim.

Suh Monçano, 24 anos, também é mais uma das blogueiras que começou com apenas um hobbie. A própria explica que tudo o que usava indicava no facebook, e não apenas indicar começou também a dar dicas de beleza. “Comecei a acompanhar algumas influenciadoras e criei meu primeiro blog “Cantinho da Suh”, mas eu nunca iria imaginar que se tornaria um trabalho. Depois de alguns meses oficializei o Blog com um novo nome, Suh Monçano.”. Suh ainda diz que as marcas procuram os influenciadores com propostas diferenciadas. “As marcas nos enxergam com uma proposta diferente de marketing, uma renovação, sabe? Um tipo de abordagem totalmente diferente da TV, por exemplo. Que causa um “impacto” maior.”.

Outra que acabou por entrar nesse mundo foi a blogueira e vlogueira Clayci Oliveira do “Sai da Minha lente”, 30 anos e fotógrafa, ela explica que não havia um motivo em si para se criar uma página para ela, mas as circunstâncias e a vontade de compartilhar dicas de fotografia a ajudou a decidir. “Eu comecei blogando há muitos anos atrás, como um modo de me expressar, de pôr e compartilhar sentimentos de uma forma que me sentisse mais leve. Quando criei o Sai da Minha Lente, o meu objetivo inicial era compartilhar dicas de fotografia e aos poucos o gosto foi surgindo e comecei a mesclar assuntos de meu interesse, como colecionáveis, séries e livros. A palavra “influenciador” me assusta um pouco, é claro que não se trata de um conceito novo. Mas sempre refiro à eu mesma como criadora de conteúdo. Você precisa produzir para que a influência seja consequência e não o ponto de partida.”

Mesmo sendo um influenciador digital ainda é preciso um emprego fixo para que suas contas sejam pagas e isso aconteceu com Clayci. “Nunca imaginei conseguir pagar as minhas contas com o blog um dia. Durante anos, trabalhei em uma empresa na qual não gostava da minha função, mas continuei por causa do salário. E quando fiquei desempregada surgiu o desespero, porque não me via exercendo nenhuma atividade, ainda que informal. Porém, com o aumento do desemprego é natural as pessoas correrem atrás de alternativas.”, comenta a mesma e ainda completa, “Ver produtores de conteúdo, se destacando no mercado, me fez perceber que o blog poderia ser algo a mais do que apenas expor meus pensamentos, trabalhos fotográficos e coisas do dia a dia. Acredito que a informalidade é um caminho natural e necessário, pois dessa forma conseguimos nos reinventar.”

OS INFLUENCIDORES DIGITAIS INFLUENCIAM QUEM?

Em um artigo publicado no site Digitalk afirmou que estes Blogueiros, Instagramers, Twitteiros, Youtubers, etc, possuem muito mais poder de influência sobre seu público do que muitas celebridades por ai. Além do mais muitas marcas e empresas preferem se associar a Microinfluenciadores, pois na maioria dos casos abordam assuntos de nicho. De acordo com os dados publicados pelo Nogre, e apresentados pelo Digitalk, muitas empresas preferem se associar a esses influenciadores menores porque além de cobrarem um valor menor pelo seu trabalho, eles possuem um público mais engajado e com quatro vezes mais chances de conquistar um comentário em um post.

Ainda de acordo com o artigo do Digitalk:

35% dos seguidores de influenciadores digitais afirmam ter se engajado em algum tipo de causa por recomendações dessas pessoas em suas redes, segundo dados do Influence Impact Report 2017, da Allison+Partners.

70% dos adolescentes que acessam o Youtube se conectam mais com influenciadores do que com celebridades, conforme informações do Google Insights.

83% dos consumidores confiam em recomendações feitas por pessoas que conhecem, acima de qualquer outra forma de propaganda, como revelou a pesquisa “Global Trust in Advertising” feita pela Nielsen em 2015.

91% dos Millennials descobre novos conteúdos em feeds de sites e redes sociais, de acordo com os dados do The share millennials insights project.

Os influenciadores digitais com toda certeza tornaram-se as maiores fontes de referências, não só de sucesso em sua área, como também de recomendações e daquilo que fazem melhor: influenciar.



5 comentários:

  1. Menina, que artigo mais lindo, completo e P-E-R-F-E-I-T-O! Acho que a tempos não via um artigo tão bom vindo de blogs assim! Parabéns pela iniciativa em trazer este jornal informal as redes sociais! Espero que seu projeto vá pra frente, que orgulho fazer parte de um pedacinho dele! ♥

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o post. Já conheço a Clayci e admiro muito seu espaço e o que ela disse.

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  3. Ficou muito bom esse artigo. É muito gratificante fazer parte de um post 😍.
    Sucesso .

    ResponderExcluir
  4. Concordo, o título de Influenciador Digital é muito almejado, o que causou um grande alvoroço na blogosfera pelas polêmicas com empresas que passaram a ser mais cautelosos e criteriosos na hora de firmar uma parceria.

    www.blogdodeivy.com

    ResponderExcluir
  5. Excelente esse artigo, ele desmonta o que a maioria quer: Sucesso a qualquer custo, evemos criar conteúdo de qualidade e informação verdadeira, e claro pensando no quanto irá abranger!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.