REPRESENTATIVIDADE E DIVERSIDADE NAS HISTÓRIAS DE SUPER HERÓIS


Você já parou pra perceber que a quantidade de heróis que são LGBT é praticamente nula nas telonas? E que até pouco tempo atrás haviam muito mais heróis brancos do que negros? E a representação das mulheres no meio disso tudo? Não é segredo que a representatividade na cultura pop é bem escassa e muitas pessoas não conseguem se ver representadas nas telas. Infelizmente é um problema muito comum e precisa ser discutido, visto que as pessoas privilegiadas muitas vezes nem se dão conta que são, enquanto os outsiders (pessoas que não pertencem à esses grupos específicos de privilégio) continuam sendo os "estranhos".

Só recentemente que pessoas negras puderam se ver representadas mais dignamente nas telonas através do filme Pantera Negra da Marvel, o qual atores de Hollywood fizeram sessões especiais para pessoas mais pobres e negras poderem assistir. A quantidade de feedback recebido em relação ao filme mostrou o quanto representatividade é importante, com crianças negras que mal se viram em papéis importantes na cultura pop tendo acesso a isso.

Agora, precisamos de mais representatividade e diversidade. Mulheres ainda são tratadas com muita sexualização pra agradar ao público masculino. Aliás, outra questão importante a se tratar... já percebeu como os uniformes das super heroínas são majoritariamente menores e mais provocantes? Pois é. Precisamos de igualdade. Os quadrinhos estão vagarosamente inserindo mais questões sociais importantes, ou pelo menos acrescentando um pouco mais diversidade. Alguns exemplos são o Wiccano, personagem de Jovens Vingadores da Marvel, abertamente gay, America Chavez, também da Marvel, latina e lésbica, e Batwoman, da DC Comics, que também foi revelada lésbica.

Os exemplos ainda são poucos. Afinal, estamos falando de um mundo ainda muito preconceituoso, por incrível que pareça, que é o mundo nerd. Não é de se espantar inúmeros discursos absurdos carregados de machismo e homofobia em páginas dedicadas à esse público e na seção de comentários de portais de notícias nerds, como o Omelete.  Isso precisa mudar e estamos no caminho, mesmo que ainda de forma lenta.

No cinema, tivemos a ótima adaptação de Mulher Maravilha, ressaltando que foi dirigido por uma mulher, e a Marvel, finalmente, estará lançando Capitã Marvel, o primeiro filme solo de uma heroína em seu universo compartilhado, além de já ter sido elogiada pelo já citado Pantera Negra. Mas quando veremos heróis LGBTQ+? Ainda temos que esperar mais pra ver isso acontecer, mas podemos sonhar com histórias de super heróis com mais representatividade e diversidade no futuro.


Compartilhar no Google Plus
    Blogger Comentarios
    Facebook Comentarios

2 COMENTÁRIOS :

  1. Mulher Maravilha é a prova que a história dirigida pelos olhos de outra mulher traz um resultado mais real e focado no que realmente importa. Já Panteira Negra ao meu ver foi um dos filmes mais incríveis feitos pela Marvel, sério terminou o filme me sentido orgulhosa do que vi na tela. Os demais nomes citados eu conheço muito pouco sobre e outros eu não conheço, mas achei importante a ideia da postagem e o assunto levantado. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Esse é um assunto importantíssimo de abordar,seria muito interessante se pudéssemos ver a diversidade em todos os lugares.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial